11 de jun de 2013

PRECISA-SE SECRETÁRIA

Há alguns dias li uma notícia na folha de São Paulo sobre  a dificuldade que o mercado de trabalho tem para encontrar profissionais de algumas determinadas áreas e, pasmem, dentre elas estavam as secretárias. 

Parei para pensar e refletir sobre isso. Quem eles entrevistaram ou conversaram  para chegarem a essa conclusão, pois o "mundo das secretárias" que eu vivo não condiz  em nada com essa reportagem.   

Como muitas de nós, também faço parte do grupo de secretárias e basta acompanhar o que o grupo divulga ou ler os anúncios de vagas nos sites de busca de emprego para chegar a conclusão que o mercado está muito fora da realidade.  

Cada anúncio de Precisa-se Secretária  vem acompanhado de uma vasta lista de exigências para atender aos requisitos da vaga anunciada, ou seja:  muitos anos de experiência atendendo Presidentes, CEOs e Diretores em empresa de primeira linha - leia-se empresa de grande porte e multinacionais - que tenha curso superior, por vez MBA, que tenha morado fora do Brasil, fluente em idiomas - inglês - espanhol - alemão - italiano - etc, como se já tivéssemos nascido poliglotas e que para atender a esses requisitos não foi necessário nenhum investimento e/ou estudo da nossa parte.

A lista de exigências são enormes,  muitas vez ocupa metade do espaço do anúncio, salta aos olhos, mas  na hora de listar os benefícios e o salário oferecido tudo se resume em uma quase linha inteira. 

Ah! O salário, o tão suado, o tão desejado, o tão necessitado face às exigências parece mais uma doação de tão pequeno.  As cifras por vez chegam a ser vergonhosas e muitas de nós, por necessidade ou desespero por estarmos há muito tempo desempregadas, temos que aceitar.

Então, pergunto novamente "Quem esse repórter entrevistou/pesquisou para saber que o mercado não encontra profissionais do nosso calibre?

Lanço aqui um desafio para  que esse veículo de comunicação faça uma reportagem sobre nós.   Como é nosso dia-a-dia em busca de emprego, leia os anúncios nos sites de busca, visitem  uma empresa que anunciou e questioná-los sobre o quesito "exigência vs benefício".  

Enquanto isso não acontece, quiça um dia torne-se realidade, oxalá algum repórter leia este post, vamos continuar unidas e conquistando o que aparece.  

É lamentável!!!

 


 

 

20 de mar de 2013

SECRETÁRIA - PROFISSÃO DESVALORIZADA

Fiquei muito tempo afastada do meu próprio blog, sem escrever uma so palavra, porque comecei a trabalhar e não arranajei mais tempo para me dedicar.  Mas hoje volto, e peço desculpas pelo abandono, como uma postagem para chamar a atenção de todos, não so das secretárias, porque vejo que as empresas já não valorizam as secretárias como antigamente. 

Valorização não so financeira,  mas como parte integrante de uma equipe com atividades, desafios e resultados a serem alcançados e medidos. Senão vejamos:

A valorização financeira a cada ano que passa ao invés de aumentar como na maioria das profissões - engenheiros, economistas, administradores - etc, diminui, isso é incrível. - d i m i n u i -.  Por exemplo uma Secretária Executiva Bilingue com pelo menos 3 a 5 anos de experiência em 2007 recebia um salário de R$ 4000,00 a R$ 5000,00 em empresas de médio a grande porte, passados 6 anos, em 2013, o que vejo nos anúncios de divulgação de vagas são as empresas exigindo que as secretárias atendam 3, 4  até 5 diretores e suas equipes com mais 15 ou 20 pessoas e a remuneração oferecida continua nos 4  ou R$ 5000,00, quando não menos. 

A valorização quantitativa e qualitativa das nosas atividades e/ou dos serviços que  prestamos aumenta, e como AUMENTA. Além de cuidarmos das agendas, das logísticas de viagem, dos relatórios de despesas, recepcionar os visitantes, apresentações, planilhas,  cuidar dos assuntos pessoais, temos que exercer o papel de "Office Manager"; ou seja cuidar de todas as atividades - leia-se responsabilidades - que geram um escritório, temos que fazer com que todas as "engrenagens" - infraestrutura - funcionem perfeitamente para que os demais colegas de trabalho não fiquem sem uma impressora funcionando, o link da internet não caia, os telefones funcionem, que tenha em estoque  material de escritório, da copa e de banheiros, que os equipamentos de video conference estejem funcionando perfeitamente, malote, correios, recepcão,etc.

Todas essas atividades fazemos com prazer e dedicação porque gostamos do que escolhemos fazer e diga-se de passagem, fazemos muito bem, porque somos mulher e conseguimos realizar múltiplas tarefas.

Então eu pergunto:  Se fazemos tudo isso, com mérito e desenvoltura, porque não somos reconhecidas financeiramente pelos resultados que alcançamos. Porque nossa profissão está tão desvalorizada no mercado de trabalho?


14 de jul de 2010

FLEXIBILIDADE OU JOGO DE CINTURA - O QUE SE PRECISA NO AMBIENTE DE TRABALHO?

Há muitos anos trabalhando em empresas privadas, familiares ou não, nacionais ou internacionais, me faz pensar:


O que é preciso para sobreviver, hoje em dia, nesse mundo tão competitivo, desafiador, difícil, mas também prazeroso - "Ambiente de Trabalho"


Até a alguns anos atrás você so precisava cumprir seu horário de trabalho, realizar suas atividades e ser educado. As pessoas eram vistas como parte integrante de uma família corporativa. Voce podia, naturalmente, conversar com o seu colega sobre as coisas boas ou más do trabalho, da sua casa e da sua família.


Mas o tempo foi passando e as coisas simples e práticas de um dia normal de trabalho perderam seus status, seus valores... As pessoas continuam sendo importantes para o contexto empresarial, desde que elas justifiquem e comprovem o seu mérito por estarem exercendo essa ou aquela função dentro da empresa. Elas não podem mais comentar com o colega sobre o seu dia, pois poderão ser prejulgadas e isso prejudica o desempenho e/ou rendimento para alcançar o resultado da empresa.


Então o que fazer? Como passar grande parte do seu dia, da sua vida num local onde você precisa provar, dia após dia, que é o melhor empregado do departamento ou da empresa ou que é o melhor colega que seu vizinho tem ou que é o subordinado mais competente que seu chefe tem.


A resposta poderia ser inúmeras, competência, inteligência, perfeição..., mas a que mais se destacaria seria: Flexibilidade ou jogo de cintura, atributos imprescindíveis para sobreviver nessa selva que se tornou um ambiente de trabalho.

7 de jul de 2010

Ser uma Secretária Diferenciada

Hoje quando se fala em competitividade, pensamos logo em esporte, mas na vida profissional é muito comum depararmos com essa "competitividade", pois as empresas estão mais exigentes com seus funcionários, algumas até incentivam a competitividade entre os mesmos, a fim de produzir melhores resultados. Como é sabido quando existe concorrência se produz melhorias em produtos ou serviços, o custo x benefício é fundamental. Então, porque não provocar a competitividade a fim de fazer com que as pessoas cresçam no desempenho de suas atividades, assim ganham a empresa e o profissional que procurará se aprimorar e se atualizar no tocante à assuntos da empresa e às suas atividades e responsabilidades dentro do grupo.


E quando essa competitividade é vivida na busca de uma oportunidade no mercado de trabalho. Qual é o melhor caminho, a melhor conduta ou simplesmente como ser o vencedor nessa disputa, como ser o escolhido para preencher a vaga. Que bom seria se tivessemos todas as respostas para tantas incertezas e inseguranças. Porém, todos hão de concordar; sai em vantagem aquele que melhor conhece a si mesmo, aquele que conseque transmitir toda a sua experiência de uma maneira que a empresa tenha a certeza de dizer "é essa pessoa que eu quero para fazer parte do meu time vencedor".